Archive | May, 2011

Planeta Afeganistão

20 May

Alguns adoram literatura ou filmes ambientados em outros planetas. E eu sempre penso “pra quê?!” Haah-é agora que os nerds me matam – Não, é só uma brincadeira.

O ponto é existem muitos planetas dentro do nosso.

No fim de semana fiz uma  pequena viagem, levei O livreiro de Cabul comigo e entrei em contato com o planeta Afeganistão.

O livro foi um sucesso de vendas no exterior e aqui. Lançado em 2002, ele conta a vida de uma família afegã, seus parentes e vizinhos. As histórias impressionam, principalmente, porque parecem absurdas para quem é de outra cultura.

Mulheres aqui porque tem um homem ocupando o banco do passageiro

 Muitos acontecimentos são surreais como peregrinos que matam um ministro a tapa (sem planejar, o cara tá lá, eles estão revoltados e “bang”!). Ou escolas que fecham porque não há professores (homens) capacitados e mulheres diplomadas para a função não podem atuar, hã?!

Bem, não dá para entender os costumes de um povo com apenas uma leitura. Sem saber as origens, a história do seu desenvolvimento. E há muitas coisas bonitas, a união familiar, o respeito aos mais velhos, a força das pessoas, a vontade de viver apesar da miséria e das guerras.

A festa de casamento é um ritual de quase um dia e é rico em detalhes que representam a nova fase. E, o mais curioso, em algumas regiões a segregação entre homens e mulheres é muito forte e a homossexualidade masculina é aceita. Os homens se casam e têm filhos, mas convivem com outros homens a maior parte do tempo, se tornam amantes e não há mal nisso. É aceitável.

Enfim, o livro é muito bom.

Advertisements

Doc (Lixo) Extraordinário

11 May

Assisti o documentário Lixo Extraordinário e conheci o trabalho do artista Vik Muniz. O filme já tinha chamado a minha atenção e é uma ótima opção para os apaixonados por documentários.

Os movimentos de câmera são originais, o filme tem a velocidade certa, a edição tem cortes precisos e a montagem foi bem feita. Além da técnica, o roteiro traz a riqueza da vida dos personagens, seus dramas, seus lares.

A história da moça de 18 anos que começou a trabalhar com sete anos, aluga um quarto no lixão e tem 3 filhos foi a mais impactante para mim.

Enfim, o Doc é muito bom e eu recomendo. Assim como a apreciação do trabalho desse cara.

Hei me empresta aí.com

10 May

Sabe aquelas coisas úteis que compramos mas usamos pouco? Como, por exemplo, um martelo ou uma escada que frequentemente emprestamos?

Pois bem, hoje vou indicar um site em que é possível fazer empréstimos dos mais variados objetos.

Ainda não se sabe se a ideia vai “pegar” aqui como em alguns países estrangeiros. Por outro lado, se você tem pouco tempo ou afinidade com seus vizinhos vale a pena tentar. 

O site trabalha com a ideia de consumo colaborativo, ou seja, nós podemos consumir compartilhando nossas coisas. É uma maneira um tanto “radical” para a  nossa sociedade consumista e individualista. Sobretudo em um momento onde uma nova classe média chega ao mercado e faz questão de ter de tudo um pouco, um de cada, para cada um.

Sendo assim, é claro que é um conceito alternativo, hippie, modernoso, etc… Porém quando lembramos dos “lixões” fora e dentro das cidades, nos mares, acredito ser é um tipo de ideia que vale a pena ser promovida cada ves mais.  

Ou revitalizada, afinal a maioria das sociedades ocidentais foi deixando os hábitos de compartilhamento nos últimos séculos. E aí está a História para mostrar isso.

Caos!!!!!!!!!!!!!!!

9 May

Você tem a impressão, às vezes..

Penso, logo sou confuso

 

esperando uma luz

 
Pelo menos sempre gostei do caos, porque ele é criativo.